terça-feira, 30 de março de 2010

Choac, choac

Primeiro ela era rainha,
podia ser rainha de qualquer coisa.
Passava por uma rua
e "sou rainha dessa rua",
sentava numa praça
e "aqui sou rainha".
Então, olhava para os outros...
ah, eles eram os outros e ela
a rainha!
Sentava como rainha,
falava como rainha,
caminhava como rainha,
era uma Rainha!
Reinava!
Um dia encontrou o Princípe,
casaram
e se tranformaram, os dois,
em sapos.
Choac, choac...!
(Diane Beatris)

segunda-feira, 29 de março de 2010

Nua

Eu não tenho certeza
da minha decência,
nem da minha aparência,
nem da minha eficiência,
nem da minha inteligência.
Eu não tenho certezas!
Minha verdade é
sempre promíscua,
minha realidade não é nua,
minha pele nunca sua,
e pensar em ser tua
é como comer o queijo da lua.
Minha indecência é pura!
Minha incerteza
é saber
como fazer
para não ser
aquilo que esperam
de mim...
(Diane Beatris)

quarta-feira, 24 de março de 2010

Ave Comum

Era uma ave comum, dessas que parecem pombas e vivem sobrevoando os telhados, mas tinha olhos de céu. Imensidão de céus.
Foi por isso que alguém a levou para o seu quintal. Não a engaiolou, apenas deu alguma atenção e ela foi ficando.Outras aves se aproximaram. Ela não ligava.
Esse que lhe deu atenção se divertia com ela. Ela era esquisita, solitária, às vezes doce se aninhava no colo dele, às vezes misteriosa voava para galhos mais altos e muitas vezes selvagem bicava todos que se aproximassem...
Muitas estações passaram e seus olhos inundaram-se com cada céu que passou...
Então, um dia, uma ave comum, dessas que parecem pombos, mas tem olhos de céu passou sobrevoando o quintal. E ela desejou ir. Nunca soube porque ficou tanto tempo naquele lugar, mas agora sabia. Esteve esperando a passagem da ave que tinha nos olhos todos os céus.
Do céu lhe chegou o grito para voar. Estendeu as asas, mirou para o alto...
A mão atenta daquele que lhe dava atenção a capturou antes que alçasse o voo e para que nunca mais corresse o risco de perdê-la guardou-a na gaiola para sempre...
(Diane Beatris)

quinta-feira, 18 de março de 2010

Hein? Hein?


Mexo-me. Mexo a boca, os olhos, as  mãos, os ombros, as pernas. Mexo o corpo!! Rio para mim, de mim, dos outros. Mexo-me para mim! Danço sozinha! Mas te digo, quando você tem família, filhos, marido, etc e tal, não é fácil!! Eles te querem todinha para eles e do jeito que eles acham que você deve ser. Pior, eles podem pensar, inclusive, que você enlouqueceu!!! Começam sugerindo uma visitinha ao psicólogo...
Se você insistir nessa coisa de deixar fluir a menina  - porque ela tá ai, bem conservadinha dentro de você, prepare-se! vai ser cruel!!  Imagina, uma mãe-que-já-poderia-ser-avó imitando a dança do ventre de Shakira enquanto canta Ojos Asi???!!! E o pó da casa por tirar? E a roupa para guardar? Hein? Hein? Claro, a gente sabe as obrigações que tem!! Mas, é só um pouquinho, só um pouquinho que você precisa para equilibrar a de dentro com a de fora que é você... Ufff, falei demais...

Alguém gostou muito!!

Loading...

Quando o arquiteto planejou o horizonte

Quando o arquiteto planejou o horizonte
seu coração ardia igual saudades...