sábado, 31 de agosto de 2013

Repressão da Brigada a indígenas e quilombolas - 30/08/2013


Enquanto à última pessoa excluída neste mundo - onde quer que ela esteja - no for garantido o direito de:
- não se submeter à vontade arbitrária de qualquer ordem de poder;
- não ser maltratado sob qualquer pretexto;
- manifestar sua opinião de acordo com seus próprios pensamentos;
- de ir e vir sem necessitar de permissão ou explicação de seus motivos;
- reunir-se e organizar-se com outros por livre e espontânea vontade;
- de proteger sua cultura, língua e religião como tesouro a ser guardado e oferecido aos seus descendentes;
- de estar e viver no território que não só lhe pertence mas do qual faz parte e do qual jamais poderá ser separado tal como se constitui essa relação no pensamento e viver  dos povos originários e quilombolas, não poderemos permanecer tranquilos e felizes por muito tempo, nem poderemos deixar de lutar. Enquanto existir uma única pessoa excluída em nosso meio não podemos chamar a nós mesmos de 'humanos".




A.C.A.B / "Mas Não Com Essa Farda"

domingo, 18 de agosto de 2013

Burn it Blue Caetano Veloso and Lila Downs



I burn...
Midnight blue
Spread those wings
Fly free with the swallows
Fly one with the wind
Y ella es flama que se eleva,
Y es un pájaro a volar
Y es un pájaro a volar
En la noche que se incendia,
El infierno es este cielo
Estrella de oscuridad


Link: http://www.vagalume.com.br/caetano-veloso/burn-it-blue-traducao.html#ixzz2cHsmv8Dc



sábado, 17 de agosto de 2013

Fraturamento hidráulico no Brasil e em outras partes do mundo

Blog do Luar: O PROCESSO PENAL NAS INFRAÇÕES PENAIS PRATICADAS P...

Blog do Luar: O PROCESSO PENAL NAS INFRAÇÕES PENAIS PRATICADAS P...: I - INTRODUÇÃO Sou do Amazonas. Pertenço a uma comunidade tradicional, que há muito habita a floresta Amazônica, cujo nome em nossa ...

a antropóloga Manuela Carneiro da Cunha, uma das mais influentes estudiosas da questão indígena no país, em recente entrevista a um jornal de grande circulação, “O governo Dilma não demonstra a mínima preocupação para atender a imperativos de Justiça, Direitos Humanos e Conservação de seus valores culturais, sendo os maiores prejudicados, os direitos indígenas, pois o governo está cada vez mais refém do PMDB e do Agronegócio, que se aliou aos evangélicos”.
Após citar o que chamou de “OFENSIVA SEM PRECEDENTES NO CONGRESSO NACIONAL CONTRA OS INDÍGENAS”, a professora chama atenção para um projeto de lei, que segundo ela, foi alçado ao status de urgência com o beneplácito do líder do governo e permitiria o uso de terras indígenas para diversas finalidades, desde a construção de hidrelétricas à reforma agrária. "Se passar, será a destruição dos Direitos Territoriais das populações indígenas”, alerta.

Hidrelétricas no Tapajós – Nota de repúdio à truculência na reunião com os Munduruku em Jacareacanga

Hidrelétricas no Tapajós – Nota de repúdio à truculência na reunião com os Munduruku em Jacareacanga

Por todo o exposto, solicitamos urgentemente a atenção das autoridades competentes para:
a)      Observação imediata do resultado da reunião que destituiu a Sra. Maria Leuza Kabá, do cargo de Vice- Coordenadora da Associação Pussuru, e a Sra Neuxa Krixi, do cargo de tesoureira da mesma associação. Neste sentido, pedimos especial atenção ao fator alegado de financiamento da reunião pela Prefeitura e de influência da mesma, na forma de coação, sobre as decisões do líderes Munduruku presentes;
b) Envio imediato de observadores para a questão da violação de direitos humanos dos povos Munduruku e,  principalmente, com fins de acompanhar o processo de Consulta Livre, Prévia e Informada sobre as hidrelétricas do Rio Tapajós, tal qual foi anunciado que ocorreria e que era prioridade para o novo e eleito mandato da Associação Pusuru;
c) Apuração da conduta do Prefeito Raulien Queiroz e seus assessores no que diz respeito ao cerceamento à liberdade de expressão e manifestação, assim como a intimidação de ativistas e membros do movimento social e movimento indígena, tal qual garantido nos Artigos 5 e 232 da Constituição Federal, e na Convenção 169 da OIT, bem como na Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas, das quais o Brasil é signatário;
Assinam esta carta:
  • Comitê Metropolitano do Movimento Xingu Vivo Para Sempre
  • Fórum da Amazônia Oriental (FAOR)
  • Rede Brasil sobre Instituições Financeiras Multilaterais

PMs espancam indígena e censuram o trabalho de jornalistas e da OAB-RJ

VERGONHA!!! Governo esvazia audiência pública e explicita, de novo, de que lado está

VERGONHA!!! Governo esvazia audiência pública e explicita, de novo, de que lado está

  • Gleisi Hoffmann, ministra-chefe da Casa Civil: ausente!
  • José Eduardo Cardoso, ministro da Justiça: ausente!
  • Maria Augusta Boulitreau Assirati, presidente da Funai: ausente!
  • Maurício Antônio Lopes, presidente da Embrapa: ausente!

Indígenas canadienses luchan contra acuerdo con China

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Ken Robinson: Escolas matam a criatividade? [completo, legendado português]

de Marco Weissheimer em RS Urgente

"Agora, no caso da empresa CMPC, que tem em seu comando o chileno Eliodoro Matte, um dos maiores investimentos de celulose do Cone Sul, anuncia-se um investimento de 5 bilhões de reais, valor quase igual ao de 2008. E mais uma vez, se conta com financiamentos facilitados de 2,5 bilhões de reais do BNDES. E, de quebra, consegue-se outro apoio do governo do Estado do Rio Grande do Sul, agora sob a chefia de Tarso Genro, que parece ignorar os riscos socioambientais e econômicos deste novo empreendimento. O Secretário de Desenvolvimento, Mauro Knijnik, chegou a confessar que não estava contente, mas “muito contente”, e que se sentia como “um guri que tinha ganho uma bola nova”. Mas como ficar contente com o investimento em empreendimentos que representam altos riscos uma concentração descomunal de uma só atividade na região?
Nesta forjada “festa” para os gaúchos, entretanto, não se fala das recentes acusações dos movimentos chilenos contra a CMPC, no que toca a denúncias de ocupação por megassilvicultura dos territórios tradicionais dos Mapuches. Tampouco se comenta no Brasil uma grave denúncia dos movimentos pelos direitos humanos no Chile quanto a um possível apoio a uma chacina de 19 pessoas, sendo 14 trabalhadores da empresa, por parte da polícia militar (carabineiros), quando do golpe militar liderado pelo general Augusto Pinochet, em18 de setembro de 1973.
No que toca ao aspecto econômico, a falsa sensação de bonança encobre altos riscos, inclusive econômicos, derivados de megaempreendimentos que realimentam as já conhecidas monoculturas de trágicos resultados socioambientais no Cone Sul."
http://rsurgente.opsblog.org/2013/08/08/celulose-riograndense-redencao-ou-sindrome-de-detroit/

Presidente da Nestlé: "Água Não É Um Direito Humano Básico."

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

VIRTUAL ILLUSION: o colapso é possível...

VIRTUAL ILLUSION: o colapso é possível...: Depois de nos ter apresentado a história das sociedades que prosperaram na Terra em Guns, Germs, and Steel  (1997) ( aqui analisado ), Jared...

"Foi com grande perplexidade que fiquei a saber que uma das principais razões para o desaparecimento dos povos da ilha da Páscoa poderá ter estado no abate indiscriminado das poucas árvores que existiam na ilha. Utilizadas para construir casas, mas principalmente para ajudar na construção e transporte das célebres estátuas. O seu desaparecimento terá contribuído para alterações profundas do ecossistema da ilha, que tornariam a vida aí insustentável. O abate das árvores não é dado como causa única, mas uma das mais relevantes, e torna-se inevitável não pensar em tudo aquilo que temos vindo a fazer ao nosso planeta. Se podemos exterminar as nossas possibilidades de sobrevivência numa ilha, o que nos impede de fazer o mesmo num planeta?"

VIRTUAL ILLUSION: Para onde vai a inteligência artificial?

VIRTUAL ILLUSION: Para onde vai a inteligência artificial?: O que é a inteligência artificial? Neste novo episódio da OffBook ficam algumas respostas a esta, e a muitas outras questões sobre a evoluçã...

VIRTUAL ILLUSION: como prospera a nossa mente?

VIRTUAL ILLUSION: como prospera a nossa mente?: Trago mais uma comunicação de Ken Robinson, que não vem dizer nada de muito novo, mas como ele acaba dizendo, é preciso continuarmos a mani...

domingo, 4 de agosto de 2013

Manuel Castells - Por um Brasil que desconhecemos

Manuel Castells - Por um Brasil que desconhecemos

Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013: acesse, pesquise e baixe os dados

Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013: acesse, pesquise e baixe os dados

Para pesquisa!!

Líder da Anistia Internacional defende fusão das polícias civil e militar no Brasil

Líder da Anistia Internacional defende fusão das polícias civil e militar no Brasil

Secretário-geral da AI (Anistia Internacional) desde 2009, Salil Shetty, 52, não tem dúvidas: a polícia militar deveria ser extinta no Brasil, dando lugar a forças unificadas em um modelo civil. “O excesso de força é frequente, documentamos há anos casos de tortura e de execuções. O país precisa discutir que tipo de segurança quer.”

MPF/MG envia recomendação à Polícia sobre tratamento dispensado às comunidades ciganas

MPF/MG envia recomendação à Polícia sobre tratamento dispensado às comunidades ciganas

Recentemente, chegaram ao conhecimento do MPF relatos de que policiais em Belo Horizonte teriam adentrado tendas ciganas durante a noite, sem consentimento dos moradores ou ordem judicial. Segundo os relatos, durante a invasão, que seria uma prática recorrente, os policiais costumam inclusive retirar a identificação de seus fardamentos.

Rejeição nacional obriga McDonald’s a fechar todas as lojas na Bolívia

Rejeição nacional obriga McDonald’s a fechar todas as lojas na Bolívia

Sessenta por cento dos bolivianos são indígenas que preferem não trocar um alimento saudável, a gastar dinheiro em um lugar como o McDonald’s. Apesar de preços convidativos oferecidos pela rede, o McDonald’s não conseguiu convencer os bolivianos a comerem seus BigMacs, McNuggets ou McRibs.
A boliviana, Esther Choque disse, enquanto esperava um ônibus em frente a uma das franqueadas já fechada do McDonald´s: “O mais perto que eu já cheguei desse restaurante foi em um dia que estava chovendo e subi os degraus para me manter seca. Mas os funcionários me enxotaram, dizendo que eu estava sujando o restaurante. Por mim podem ir embora da Bolívia mesmo.”

Vandana Shiva - Privatizando a vida

Domingo é dia de mobilização na comunidade do Coque, no Recife

Domingo é dia de mobilização na comunidade do Coque, no Recife

as cerca de 40 mil pessoas que lá vivem vêm sendo removidas ou sofrendo ameaças de remoção de suas casas, do comércio local e de outros espaços de convivência social e urbana.

Para organizações de Direitos Humanos, efetivação da Convenção 169 depende da participação dos povos afetados

Para organizações de Direitos Humanos, efetivação da Convenção 169 depende da participação dos povos afetados

Os grupos políticos de governo efetivamente comprometidos com uma regulamentação que atenda aos anseios dos sujeitos de direito têm o grande desafio de superar as pressões externas e internas para, assim, assegurar que o processo de regulamentação não se desdobre na “frigorificação” de um marco normativo que não atenda aos princípios que regem a Convenção 169 da OIT. 

Nota de repúdio da Articulação de Mulheres Brasileiras contra agressão a estudantes em Santarém

Nota de repúdio da Articulação de Mulheres Brasileiras contra agressão a estudantes em Santarém

A  Articulação de Mulheres Brasileiras manifesta seu veemente repúdio a truculência e as agressões físicas praticadas por policiais e seguranças particulares da Assembléia de Deus contra um grupo de estudantes em Santarém, incitadas pelo Pastor Marco Feliciano/presidente da comissão de Direitos humanos e minorias da câmara federal.

“Você sabe lá o que é abrir mão de uma vida?”

“Você sabe lá o que é abrir mão de uma vida?”

Amanhã a casa de seu José será demolida. As 14 pessoas que ali moram vão ter que procurar não apenas um novo lar, mas um novo modo de viver.

sábado, 3 de agosto de 2013

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Nota em Relação às Condições de Trabalho e Valorização dos Policiais

Nota em Relação às Condições de Trabalho e Valorização dos Policiais

Faz-se necessário valorizar os policiais, tais quais os demais servidores públicos, com direitos e deveres, salários adequados e condições de trabalhos dignas, seja em relação aos equipamentos, à estrutura,  seja em relação à carga horária, como previsto pela Organização Internacional do Trabalho-OIT. Por isso, tem-se como referência, inclusive, a PEC 300. Outra medida importante é a desmilitarização da polícia, como já recomendou a Organização da Nações Unidas- ONU. Desconectada da nossa realidade social, a militarização serve apenas como instrumento de contenção das camadas exploradas e segregadas. Outra face odiosa da militarização, dá-se internamente, por causa da hierarquia militar, decorrendo em assédio moral advindo desta cultura, que prejudica, assim, carreiras, causando transtornos aos profissionais e as suas famílias. Neste sentido há de se fortalecer direitos fundamentais basilares como de petição, de  reunião, de associação e de livre expressão do pensamento.

Nota do MST-RJ sobre atrocidade e desrespeito à humanidade no Açu

Nota do MST-RJ sobre atrocidade e desrespeito à humanidade no Açu

O que mais causa indignação é a naturalização dessas violações dos direitos mais fundamentais desses trabalhadores, por alguns segmentos da sociedade. É no mínimo indignante. Só nestas últimas semanas, temos conhecimento de três mortes relacionadas a processos depressivos de camponeses que foram expulsos de suas roças.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

La multidud brasileña no tiene nombre - texto de El Diario

¿Por qué la multitud brasileña no tiene nombre? ¿La profecía del colectivo italiano Wu Ming (que significa sin nombre en chino) y su libro Esta revolución no tiene rostro se está cumpliendo, por fin? Tiago Pimentel, analizando visualizaciones en la sede de Interagentes de São Paulo, tira de sociología, de antropología. De historia. Surge en la charla la cabanagem, una revolución popular que retiró a las élites del poder en la Amazonia, entre 1835 y 1840. Y el carnaval, su flujo de multitudes, sus máscaras temporales. Tiago cita Raízes de Brasil, un libro de 1937 del historiador Sergio Buarque de Holanda, en el que se relata la desconexión histórica de las regiones de Brasil. "Portugal prohibía enviar cartas de Río a Bahía, por ejemplo. Iban a Lisboa y regresaban", afirma Tiago. La centralidad de Lisboa fue sustituida por otras. Por Rio de Janeiro. Por Brasilia. Por la Rede Globo. Por Facebook. El sociólogo Sérgio Amadeu, fundador de Interagentes, explica la paradoja: "los estudios prueban que las revueltas son extremadamente distribuidas, descentralizadas, tanto que no hay apenas hubs que conecten las regiones". La fuerza de los medios y Facebook explican la falta de conexión nacional de los inicios. También, el poco entendido reinado de grupos de Anonymous en la convocación redes-calles.
Y el humor. En medio de la dispersión, del no logo de las revueltas brasileñas, empiezan a surgir perfiles fake y remezclas emotivas. Vándalo, usado como insulto por los medios en los primeros de los protestos, ya es una bandera común. Aparece en los apellidos y nombres de personas de las redes sociales. Y tal como ocurrió en Turquía, donde chapull (vándalos) derivó en la Chapul.Tv, en Brasil ya existe el humorístico Vândalo News. El vinagre - usado contra el gas lacrimógeno y prohibido durante unos días por la policía de São Paulo - es habitual, en cuentas comoAlémDoVinagre (más allá del vinagre), en perfiles personales (Vándala del Vinagre) o en el libro colectivo Vinagre, uma antologia de poetas neobarracos. "En Brasil, hasta Anonymous fue carnavalizado, ganando contornos escépticos, socarrones, algo absurdamente potente en sentido político: de convocación de la población para ir a las calles, de resignificación de imágenes de los grandes medios", asegura Fábio Mallini, investigador del Laboratório de Estudios sobre Imagen y Cibercultura. Tropicalismo caníbal en estado puro.

Museu Antropológico do Rio Grande do Sul: ETNOLOGIA INDÍGENA - PARTE I

Museu Antropológico do Rio Grande do Sul: ETNOLOGIA INDÍGENA - PARTE I: Em sua significação original, a ciência etnológica - a Etnologia - designava-se ao estudo dos povos e sociedades originárias não ocidentais...

Alguém gostou muito!!

Loading...

Quando o arquiteto planejou o horizonte

Quando o arquiteto planejou o horizonte
seu coração ardia igual saudades...