sábado, 4 de junho de 2011

Dançando com a vida de mãos dadas com a morte...


Viver é estar vivo enquanto atravessamos a noite densa,
é sentir o medo, arrepiar o cabelo, é sentir-se frágil,
machucar o pé nas pedras do caminho, cair e gemer de dor.
É olhar o céu, buscar uma estrela, o claro da lua, alguma luz
que te indique a direção.
É ficar no chão, misturar a lágrima, a terra, o soluço, o vento,
mas apenas o tempo suficiente para não mais querer estar ali.
É desejar libertar-se. Libertar-se. Perceber a noite passando.
Correr ou esperar. Tanto faz.
É dançar com a vida de mãos dadas com a morte!

3 comentários:

Darwin Bruno disse...

Tienes razón...! Palabras con luz!

http://socialculturalyhumano.blogspot.com/

Anônimo disse...

Me gustan tus ojos, porque lanzan un perfume de colores

Me gustan tus ojos, porque cuando miran se mezclan con el aire

el que respiro... cuando paso a tu lado, de color invisible

cuando paso por tu lado, de felicidad invisible

Darwin Bruno disse...

Pase de visita. Espero este bien. Te deseo un buen fin de semana amiga.

Alguém gostou muito!!

Loading...

Quando o arquiteto planejou o horizonte

Quando o arquiteto planejou o horizonte
seu coração ardia igual saudades...