sábado, 17 de setembro de 2011

Quando escrevo...


No meu pensamento existo. Você consegue me perceber quando me lê? Percebe se estou triste ou alegre?
O meu pensamento, a minha existência está  no meu corpo e nas minhas palavras. Nas escritas, muito mais que nas faladas. Quando falo, eu me confundo com aquilo que quero te dizer. E nem sempre quero te dizer a verdade, nem sempre posso te dizer a verdade. Quando falo, quase sempre estou reagindo a algo e, nem sempre é meu sentir real. Mas, quando escrevo, sou só eu e para mim ou para meu outro eu que imagino seja você (risos).
Quando escrevo é o meu pensamento que se plasma...Débil ou forte, com sentido ou não, que alguém entenda ou não, sou eu.
O pensamento é vasto como vastos são os céus que se derramam nestes dias de chuva.
Quando escrevo, minha alma se derrama como água que busca um recipiente para contê-la.
Agora mesmo, sinto esbanjar-me, perder-me. E não há taça nem rio que me recolha...

Nenhum comentário:

Alguém gostou muito!!

Loading...

Quando o arquiteto planejou o horizonte

Quando o arquiteto planejou o horizonte
seu coração ardia igual saudades...